Unidade de Controlo Costeiro (UCC), através do Subdestacamento de Controlo Costeiro de Aveiro, no dia 28 de setembro, apreendeu 219 quilos de bivalves na localidade de Veiros, no concelho de Estarreja.

No âmbito de uma ação de fiscalização rodoviária dirigida ao transporte de pescado fresco e de moluscos bivalves, os militares da Guarda fiscalizaram um veículo, onde detetaram 219 quilos de amêijoa-japonesa (Ruditapes philippinarum). No decorrer das diligências policiais constatou-se que os bivalves tinham sido capturados em zona considerada insalubre, estando a sua captura temporariamente interdita por presença de biotoxinas, constituindo assim um perigo para a saúde pública, motivo que levou à sua apreensão.

Desta ação, resultou a identificação de um homem de 40 anos idade e da empresa proprietária dos bivalves, tendo sido elaborado o respetivo auto de contraordenação.

A GNR relembra que os moluscos bivalves, porque se alimentam por filtração da água, acumulam microrganismos e substâncias químicas. Assim, o seu estado de salubridade reflete a contaminação microbiológica e teor em metais tóxicos das zonas onde se encontram, podendo, mesmo, conter níveis superiores aos existentes no meio ambiente. Por outro lado, existem perigos químicos associados aos bivalves, como as biotoxinas marinhas que são compostos tóxicos, produzidos por microalgas, que podem causar intoxicações.