Nesta campanha permanente da Campo Aberto, chamamos a atenção para o papel fulcral dos rios e redes hidrográficas no que respeita à saúde dos territórios e das populações.
E também à beleza e integridade dos rios, não poucas vezes perdidas ou ameaçadas. Os rios devem ser gradualmente restaurados e devolvidos tanto quanto possível ao seu estado natural.

Recebemos de Pedro Ramos uma carta enviada à Empresa Municipal Penafiel Verde, responsável pelos recursos hídricos naquele concelho, na qual se denuncia a ocorrência de poluição na Ribeira de Camba, ou Cambres, em Penafiel.

Essa ribeira é afluente do Rio Tâmega, por sua vez afluente do Rio Douro, faz pois parte da bacia hidrográfica do Douro, cuja defesa é o objetivo do #MovRioDouro, movimento informal recentemente criado e de que a Campo Aberto foi cofundadora. É pois um caso que interessa ser debelado, para o que o #MovRio Douro poderá contribuir.

Eis algumas passagens mais importantes da carta de Pedro Ramos:

Venho pela presente denunciar uma descarga ilegal feita na Ribeira de Camba (ou Cambres), em Penafiel, detetada no passado dia 1 de Setembro de 2021, às 12:30.

A água, antes transparente, passou a apresentar uma cor acastanhada, com espumas brancas e cheiro desagradável. Em anexo, segue documento com imagens do estado da ribeira antes e depois da descarga (imagens 1 e 2), obtidas na freguesia de Eja, a poucos metros da Foz desta Ribeira, que desagua no Rio Tâmega, perto da Ponte Duarte Pacheco. Julgo haver nas imediações um ponto de captação de água para uso público, o que aumenta a gravidade desta ocorrência.

No mesmo dia 1 de Setembro, desloquei-me à ETAR das Termas de São Vicente, por voltas das 14:00, dando conhecimento desta descarga a dois funcionários que se encontravam no local. De imediato, prontificaram-se a informar os vossos serviços centrais para averiguação do sucedido.

Não me é possível indicar a localização exata onde ocorreu a descarga, nem o autor ou autores. Suspeito que poderá ter acontecido no percurso compreendido entre a ETAR das Termas de São Vicente e o Inatel de Entre-os-Rios (lugar da Torre). Junto às Termas de São Vicente (ver anexo, imagem 3), a Ribeira não apresentava a cor, espuma e mau cheiro que se verificava na Freguesia de Eja, a jusante do Inatel.

……………….

Termino, dando conhecimento que foi enviada cópia desta mensagem e/ou efetuada a mesma denúncia através dos formulários disponíveis, para a Administração da Região Hidrográfica do Norte (ARH Norte), SEPNA e IGAMAOT, bem como para as seguintes ONGA, organizações não governamentais de ambiente: Zero, GEOTA, Campo Aberto e Quercus. Pedro Ramos

« PENA MAS NUNCA SE APURAM RESPONSABILIDADES»
 

Noticiada no dia 3 de setembro de 2021, no Jornal de Notícias, uma descarga poluente causou a morte de centenas de peixes no Rio Este, que atravessa a cidade de Braga.

 
Um morador, no dia 1 de setembro, já tinha notado que a água estava «com cor de coca-cola. Vi os peixes aos saltos e a ficarem de barriga para o ar, mas não senti qualquer odor». Outro vizinho dizia: «Morreu tudo. Está tudo preto. Dá pena, mas nunca se apuram responsabilidades.»
 
De facto as descargas são habituais, mas esta foi especialmente grave. «O caso foi remetido para o Ministério Público e as coimas por crime ambiental podem chegar aos 144 mil euros», escreve o JN. Mas as notícias de prevaricadores a pagar coimas a doer primam pela raridade ou inexistência…